No dia mundial do Alzheimer abra sua mente para uma nova ideia.

Um estudo recente publicado pela revista Nature, revela que um dos componentes presentes na erva podem fazer parte de um tratamento surpreendente contra o mal de Alzheimer.

O componente é o tetraidrocanabinol (THC), principal substância psicoativa da cannabis.

Nesse estudo foram realizados testes com a finalidade de remover placas de proteína beta-amilóide acumuladas no cérebro. Essa proteína esta associada à morte de neurônios e como consequência a degeneração de regiões cerebrais ligadas à memória. Esse processo desenvolve doenças que causam demência, como o Alzheimer.

OAKLAND, CA - JUNE 22: A marijuana plant is displayed during the 2016 Cannabis Business Summit & Expo on June 22, 2016 in Oakland, California. Policy makers and innovators gathered for the three-day long Cannabis Business Summit & Expo. (Photo by Justin Sullivan/Getty Images)

Ao adicionar THC em neurônios degenerados pelas placas, os cientistas notaram que além de causar quebra na construção das proteínas, o THC também reduziu a inflamação das células, impedindo-as de morrerem. Sendo assim a cannabis pode ser uma grande aliada no processo de cura, ou pelo menos retardamento da doença.

Esse é só mais um dos inúmeros benefícios que a erva nos traz.

Uma pesquisa feita recentemente revela que 60% dos brasileiros apoia o uso da maconha medicinal.

Via: Exame

Share this post